Arquivos da categoria: Reclamação

Demora nas comprar internacionais? devem estar lendo seu livro

Um amigo postou este texto em uma lista de discussão e achei que deveria compartilhar… Obviamente pedi autorização que ele prontamente me concedeu.

Sempre compro (e recomendo) no sebo online www.betterworld.com. Identifico-me com a causa deles e prefiro comprar um livro usado a um novo quando o usado é capaz de atender plenamente a minha necessidade.

Em Dez/2010 eu comprei um livro, em Março/2011 eu comprei mais 2 livros.

Em Abril dei-me por conta que só havia recebido os dois de março. Entrei em contato com a better world avisando do ocorrido e dizendo que aceitava esperar mais duas semanas. Passadas duas semanas fui reembolsado imediatamente ao meu contato pela empresa (segunda-feira). Fui ao correio verificar minha caixa postal ontem como faço uma vez por semana… adivinha! O livro havia chegado. Isso já aconteceu antes (nunca com 5 meses de atraso, mas já aconteceu) e eu prontamente pagarei o livro outra vez a Better world.

A curiosidade deste caso é que, dessa vez eu comprei um livro novo e não usado. Era um lançamento, não existiam cópias usadas. Os livros sempre vem muito bem embalados com bolhas de ar para proteção e tal. Dessa vez o pacote estava aberto, as bolhas de ar estouradas o que indica uma inspeção da receita. Até aqui, sem novidades! Já tive pacotes abertos pela receita e liberados na sequencia. A novidade ficou por conta do estado do livro. Novo porém com marcas de leitura. Indicando abertura página a página como quando alguém faz um “xerox” do livro.

Ficou a dúvida: Meu livro foi lido pelo fiscal que gostaria se identificou com assunto e liberado meses depois quando este terminou de ler? Será que ele ainda tirou uma cópia para sua biblioteca pessoal? Fico feliz por estar contribuindo para aumento da cultura no país e extremamente triste por ter recebido a encomenda tanto tempo depois. Ainda bem que não era urgente.

Como voar Gol ?

Um amigo de uma lista de eletronica que eu participo, mora na Florida a muito tempo, ele virá para o Brasil visitar parentes e fazer alguns contatos comerciais.

Com quase todas as passagens compradas, algumas conexões aqui no Brasil ele terá que fazer de Gol, vou coloar aqui a integra do texto que ele me autorizou a postar, sobre a dificuldade dele comprar passagens da Gol.

é longo, mas é de rápida leitura.
Continue lendo Como voar Gol ?

Coisas que só a faculdade faz por Você 2

Antitrote.orgVocê, como proletáriado, se fode para conseguir uma bolsa de estudos, pois sem ela nem com 100% do salario consegue pagar o tão desejado sonho “de ser alguem”, e por azar do destino, seus pais não são ricos[bb], por isso você precisa se esforçar para conseguir pelo menos uma bolsa de estudos parcial, para poder pagar metade do curso.

Universidade publica ? Esquece. Ela só serve para ricos INTELIGENTES, pois ricos burros, não educam seus filhos corretamente, achando que, dando um carro, uma mesadona, pagando a educação (entenda-se aqui estudos) e etc, se exime da responsabilidade de EDUCAR O FILHO.

Lembrando que o trote universitário é uma “comemoração” por ter passado em um vestibular FUDIDO (dificil de passar), esses BURROS, filinhos de umas PUTAS acham que é dificl passar na UNINOVE (aquela: perdeu o RG na frente é chamado para cursar) e resolvem que é o trote é legal e querem provar para todos que estão certos.

Quando o EX-ESTUDANTE Márcio Marques da Silva se nega a participar do trote “supostamente legal”, por ter que ir trabalhar (curso matutino) os filinhos das Put.. (opa isso eu ja falei) decidiram mostrar para o assalariado que o trote seria legal, espancando ele com socos e chutes.

Veja que estamos falando de pessoas com bom estudos, com dinheiro e sustentados pelos pais…. Parecidissimo com o caso da diarista que foi espancada, a diferença é que neste caso, não tem como falar que acharam que o cara erá uma prostituta.

Ah, sobre o trote ser em faculdades de primeira linha, veja se vale a pena ser pintado, zoado, espancado (ou todos os anteriores)… por um curso com notas mediocres (mais aqui).

Referência: Estadão online